.comment-link {margin-left:.6em;}

sábado, julho 16, 2005

In my dreams ....

12 Comments:

At 1:06 da manhã, Blogger heidy said...

Adorava ter assistido a um julgamento tipo o de Nuremberg. Foi um grande exemplo a nivel de Direitos humanos. Infelizmente, alguns assuntos nunca foram totalmente desvendados, mas tentou-se.
Desculpa se não falei do que querias dar a entender no teu post. Mas qunado olhei para a imagem, veio-me à memória isso. Lamento.

 
At 12:57 da tarde, Blogger O Homem das Ilhas said...

LOL

Falaste ... Falaste ...
Falaste de justiça ...E era isso que eu queria dar a entender ...

 
At 3:05 da tarde, Blogger heidy said...

Ontem quando postei, já estava de olhos meio fechados. Hoje, olhando bem para a imagem.... acho que acertei no que pensei. È mesmo uma imagem famosa do julgamento que referi. Naquilo tudo o que mais me dá desconcerto foi que Hermann Goering não tenha recebido o merecido.
Mas se queres falar de justiça, os EUA são um caso que não se deve seguir. Apontam o dedo, mas fogem eles próprios da situação.

 
At 5:01 da tarde, Blogger O Homem das Ilhas said...

Por isso é que podes encontrar Bush e o resto da administração Americana, nesta foto, sentados no banco dos reús ...

 
At 8:19 da tarde, Blogger O de boa memória said...

Também gostavam de ver Bin Laden no banco dos réus?

Se calhar, era melhor no Banco alimentar contra a Fome... pois, a pobreza e a indigência são as bases do terrorismo!

 
At 1:21 da manhã, Blogger O Homem das Ilhas said...

Claro que gostava ...
E pelas mesmas razões ...
Crimes contra a Humanidade.

P.S. - Essa defesa apaixonada, por vezes resvala para uma cegueira preocupante. Tens de ter a capacidade de perceber que a máxima de Maquiavel: "Os fins justificam os meios", há muito que se encontra ultrapassada ... pelo menos nesses moldes rudimentares, tão bem aplicados pela administração Bush.

P.S.1 - Os incêndios não se resolvem cortando as árvores ... O terrorismo não se resolve com guerras convencionais e com a segregação e humilhação dos povos, o problema da fome no mundo não se resolve com uns trocos dados pelo G8 de vez em quando ...

P.S.2 - Gostava de te ver assumir, pelo menos uma vez, que os EUA, actuam, única e exclusivamente, segundo os seus interesses estratégicos, e nunca pelo bem "comum" da Humanidade ...

P.S.3 - No dia em que conseguires reconhecer e interiorizar esse facto, se calhar, percebes que não estou contra a América, mas sim contra a política seguida em determinados momentos da sua história recente ... Percebes que Portugal é um actor insignificante nas Relações Internacionais e que pouco ou nada ganhou com o seu apoio e consequente participação na guerra do Iraque ... E talvez venhas a perceber o porquê de, partindo da permissa da necessidade do aparecimento de uma potência que rivalize com os EUA, que eu prefira, defenda e apoie, que esta seja a União Europeia ...

 
At 8:20 da manhã, Blogger heidy said...

Concordo com o autor deste blog. Qunando os EUA entraram na segunda guerra mundial, estavam em crise. Ainda sofriam os danos do crash. Aproveitaram-se da Europa para vender o seu produto, e dessa forma recuperar económicamente. Aos poucos a Europa foi ganhando força, e descobriu que unindo-se poderia fazer frente à crise que os envolvia. E passou das palavras à acção. De inicio ninguém lhes ligou. Mas, quando repararam que aquilo não era bem uma brincadeira, e que em determinado momento essa Europa já poderia fazer frente ao dominio economico dos EUA, alguém torceu o nariz. E veio a guerra do Iraque. Por coincidência, numa altura, em que o Euro estava bem mais forte do que o Dólar. E num momento em que estavam a decorrer negociações que poderiam separar ou unir ainda mais essa união europeia. Estranho não é?
O certo é que balançou, devido às divergências. Mas paises que jamais se pensaria unidos, deram uma só voz a uma decisão,e disseram não. Restaram outros, minoria, que não prejudicaram em nada o que estava a acontecer.
Acredito que a invasão do Iraque, tenha sido, não só para ter uma posição estratégica no médio oriente, como também para ficar com os tão afamados poços de petróleo. Mas também foi uma estratégia, para atacar a uniao europeia.
Quanto ao combate contra fome. Não interessa que esse problema termine, e depois, para onde iam os cereais em stock dos EUA? Existem demasiados interesses envolvidos. E como sabem, a vida humana, não vale tanto como uma bela conta chorud nalgum banco suiço. :)

 
At 8:26 da manhã, Blogger heidy said...

Todos aqueles que cometem crimes deveriam estar nos bancos dos réus. Ninguém deveria escapar. A lei deveria ser aplicada a todos.

Artigo I - Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.

(Declaração Universal dos Direitos Humanos)

 
At 11:07 da manhã, Blogger O de boa memória said...

Crimes contra a Humanidade?

Quais? Por favor, não me venhas falar das bombas atómicas.

E só mais uma coisa: quando me refiro à pobreza, ela existe de forma extrema em Àfrica e, não no Médio Oriente.

Outra coisa: dizes que gostavas que eu afirma-se por uma vez que os EUA defendem-se e não actuam em prol do "bem comum". Afirmo que os EUA actuam de acordo do asua Estratégia de Defesa, no entanto, muito do que se encontra expresso no seu mais elevado documento, NSE, é interesse do Ocidente, ou seja, common good.

A não ser que não acredites no conceito de Ocidente, visto acreditares na URSS, e as características serem, opostamente, antagónicas.

Uma questão: como é que podes acreditar na Europa se não partilhas da prespectiva da existência factual de um espaço civilizacional mais vasto que este continente, como é o Ocidente e, no qual a Europa é, como disse Spengler, a queda, fuga e destruição?

 
At 5:38 da tarde, Blogger O Homem das Ilhas said...

Não acredito num conceito de Ocidente ...
Acredito que existem vários Ocidentes ... Acredito que existem várias concepções de Ocidente, que nem a globalização consegue apagar ...
O Billy Bob do Texas, não é necessariamente o mesmo Ocidente da maioria dos países que compõem a UE.
Em relação à URSS, mais uma vez te digo, essa táctica de provocação (que indicia falta de argumentos) não funciona ...
Até tu tens de reconhecer que a Guerra Fria foi muito útil ao desenvolvimento das sociedades Ocidentais ... (Kissinger já o reconheceu).
Não defendo uma nova Guerra Fria, mas defendo uma capacidade de oposição à hegemonia dos EUA, ou se preferires, a emergência de uma nova super-potência que rivalize com os EUA o domínio geopolítico e geoestratégico no globo.
Por fim, para responder à tua questão, digo:

1 - "existência factual de um espaço civilizacional mais vasto que este continente" - claro que ele pode, em termos gerais existir, mas isso não implica que tenhamos de nos submeter a todos a ideias, opções, guerras e desvarios dos EUA. Uma coisa é ser aliado, outra coisa é ser subalterno.

2 - "a Europa é, como disse Spengler, a queda, fuga e destruição?" - Spengler diz, convictamente, aquilo em que acredita, mas, isso não faz com que aquilo que diz esteja correcto e/ou seja verdade. A Europa é o berço da civilização Ocidental, produziu avanços e recuos (ideológicamente, politicamente e culturalmente) nessa mesma civilização, mas, não podes acusar a "velha Europa" de não possuir capacidade evolutiva, de regeneração, de investigação, de avanços ciêntíficos, etc ...
Nem tanto ao Mar, nem tanto à Terra. Ou já te esqueceste que os próprios EUA, inteligentes e defensores acérrimos dos seus interesses, vieram buscar os "génios" europeus pós-2ª.Guerra e pós-colapso da URSS.

 
At 7:31 da tarde, Blogger heidy said...

Kissinger? ui ui... esse "monstro" das relações internacionais. :) É um caso bicudo. Um excelente exemplo de quem dá com uma mão e tira com a outra. :)

 
At 7:37 da tarde, Blogger heidy said...

Eu tive um prof de Direito Internacional publico, que dizia, que a guerra fria foi a época melhor em termos de segurança. Um "pouco" desgastante. Mas ninguém se atrevia a dar o primeiro passo porque não se sabia com o que se podia contar do outro lado. Por isso kissinger teve tanta fama. Aprendeu a tornear esses obstáculos...

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home