.comment-link {margin-left:.6em;}

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Credibilidade Intelectual


Diz Vasco Graça Moura :

"O Bloco de Esquerda apresenta-se muito mais institucional do que antes e um tanto ou quan- to desligado da piolheira deprimente cujo trato cultivava ainda há pouco tempo. Continua a argumentar de má-fé, mas recorre a uma linguagem e a uma postura cada vez mais afinadas com o establishment. Confirma-se como um partido de jovens burguesias urbanas e snobes, que se pretendem intelectuais, impacientes, desinibidas e "prà frentex". "

"Por sua vez, o PCP é liderado com inteligência, sensibilidade e charme por um Jerónimo de Sousa cujo mérito principal é o de saber encontrar um discurso prático, directo, claro, confrontado com problemas reais dos seus interlocutores e remetendo para uma penumbra discreta (que só é, aliás, ambígua para quem quiser vê-la assim) os grandes chavões ideológicos."

"Dado o que antecede, o PS não irá pescar nada nem ninguém à sua esquerda e por isso tentará fazê-lo no grande centro do espectro político, mais ou menos incaracterístico. Um centro que, para os quadros mentais, políticos e doutrinários dos socialistas, é, pela própria natureza das coisas, ou displicentemente perspectivado como "direita", ou como ideologicamente amorfo e invertebrado. Um centro flutuante, na sua grande maioria, composto por cidadãos que, mesmo quando votam, nem querem saber muito da política, nem sobretudo querem que "os chateiem", mas que também não querem ter de se preocupar excessivamente com o custo da vida, as questões do emprego, da saúde, da segurança social, do ambiente, etc., etc."

É engraçado assistir, neste últimos dias de campanha eleitoral, a Vasco Graça Moura, tentar, ainda, influenciar o eleitorado.
Para quem não sabe, Vasco Graça Moura, é militante do PPD/PSD e até foi cabeça de lista nas eleições Europeias.
Neste seu artigo, não se refere, nem uma única vez aos partidos da coligação governativa, preferindo, elogiar os dois partidos mais à esquerda, por forma a encurralar o PS, no centro.
Advogando que o eleitorado mais ao centro (maioria do eleitorado em Portugal), é "na sua grande maioria, composto por cidadãos que, mesmo quando votam, nem querem saber muito da política, nem sobretudo querem que "os chateiem", Vasco Graça Moura, conscientemente ou inconscientemente, catalogou o eleitorado do PPD/PSD, e o eleitorado que tem, invariavelmente, decidido quais os vencedores nas eleições, não só legislativas, em Portugal.
Assim, pergunto : o que fazer ?
Apenas e só, uma coisa.
Ser sério intelectualmente.
Não dizer que é desinformado (quando nos faz perder), nem que é justo e inteligente (quando nos faz ganhar).
Vasco Graça Moura, não tem credibilidade intelectual (ele que é considerado um dos poucos intelectuais de direita) para vir criticar o eleitorado de centro (que vai dar a vitória ao PS), quando ele próprio viveu à custa desse mesmo eleitorado, em sucessivas eleições, e na altura nada disse.

1 Comments:

At 4:21 da tarde, Blogger Ricardo said...

Vasco Graça Moura é conhecido por ser mais cavaquista que Cavaco. Como terá reagido a Viseu ter deixado de ser o cavaquistão e passar a aser chamado por santana Lopes o Laranquistão?

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home